Antes de tudo, um forte abraço, em amor à História e à Verdade...

sábado, 28 de janeiro de 2012

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

AS BOAS RELAÇÕES ENTRE BRASIL E IRÃ

Aos que estão publicando que as relações entre Brasil e Irã estão estremecidas, aos que vivem torcendo para que o Brasil e Irã se afastem...


LEIAM: Ahmadinejad to visit Brazil: ambassador - Tehran Times

“O Brasil não jogará no terreno dos EUA”

7 de janeiro de 2012



Entrevista Mohsen Shaterzadeh, embaixador do Irã no Brasil

Por Fabiano Costa

Presa e torturada durante a ditadura, a presidente Dilma Rousseff incomodou o regime teocrático do Irã ao condenar as supostas violações contra os direitos humanos no país persa. Apesar de descartar um mal-estar entre os dois países, o chefe da chancelaria iraniana no Brasil, Mohsen Shaterzadeh, enfatizou em entrevista a Zero Hora, na última sexta-feira, que o Planalto saiu do eixo de parceiros prioritários de Teerã. Para o diplomata, Venezuela, Cuba, Bolívia, Equador e Nicarágua constituem hoje o rol de aliados estratégicos do país do Oriente Médio na América Latina. A seguir, a síntese:


Zero Hora – Qual é o objetivo da visita do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, à América Latina?

Mohsen Shaterzadeh – A viagem é basicamente uma visita a amigos. Temos muitos projetos a serem firmados com alguns governos da América Latina. Uma comitiva de empresários iranianos acompanha o presidente Ahmadinejad. Pretendemos renovar e fortalecer as relações políticas e econômicas com Cuba, Nicarágua, Equador e Venezuela.

ZH – As relações entre Brasil e Irã esfriaram após a posse da presidente Dilma Rousseff?

Shaterzadeh – Não. O atual governo brasileiro é uma continuação da gestão Lula. Apesar do embargo dos EUA e da União Europeia ao petróleo iraniano, em 2011, o comércio bilateral entre Brasil e Irã ultrapassou US$ 2,3 bilhões. Além disso, temos outros US$ 2 bilhões atrelados a projetos em andamento.

ZH – Teerã se incomodou com o voto do Brasil no Conselho de Direitos Humanos da ONU a favor da nomeação de um relator especial para o Irã?

Shaterzadeh – O governo iraniano demonstrou um pouco de insatisfação. No entanto, consideramos o voto brasileiro característico de um país independente. Temos certeza que o Brasil não jogará no terreno dos EUA.

ZH – As reiteradas críticas de Dilma contra o apedrejamento de mulheres desagradaram o governo iraniano?

Shaterzadeh – Em uma tentativa de promover uma propaganda contra o regime de Teerã, os meios de comunicação ocidentais venderam outra imagem desta mulher iraniana condenada à morte por adultério, a Sakineh Ashtiani. Após as declarações de Dilma contra a condenação, esclarecemos o assunto com as autoridades brasileiras. Acredito que essa questão está sanada. As críticas da presidente não comprometeram a amizade entre os dois países.

ZH – Em uma entrevista durante o governo Lula, o senhor disse ver afinidades políticas entre o ex-presidente brasileiro e Ahmadinejad. O senhor considera que há afinidades entre Dilma e o chefe de Estado do Irã?

Shaterzadeh – O eixo de cooperação entre Brasil e Irã não se alterou no governo Dilma. Os dois países acreditam em justiça social, eliminação da pobreza e são contra atos cruéis e opressivos pelo mundo. As duas nações também pedem a reforma do Conselho de Segurança da ONU e têm propostas inovadoras para a paz no Oriente Médio. É óbvio que temos nossas diferenças, como nos aspectos culturais, mas os pontos de convergência são maioria.

ZH – No entanto, os dois países têm visões distintas em torno dos direitos humanos.

Shaterzadeh – Brasil e Irã enxergam o tema com o mesmo olhar. Ambos países acreditam que essa pauta não deve servir de instrumento político. O conceito de direito humanos tem de considerar a cultura e os costumes de cada povo. É natural que os costumes no Brasil sejam diferentes dos nossos, assim como são dos japoneses e dos italianos. A visão sobre os direitos humanos não deve ser a mesma dos EUA. É fundamental que a cultura de cada país seja respeitada.

ZH – Atualmente, quem são os parceiros prioritários do Irã na América Latina?

Shaterzadeh – Temos um intercâmbio comercial maior com o Brasil. Porém, nossos principais projetos de cooperação hoje estão vinculados a cinco países: Venezuela, Cuba, Bolívia, Equador e Nicarágua, nesta ordem. Investimos nessas nações aliadas em fábricas de automóveis, cimento, tratores e produção petroquímica, entre outros setores.

ZH – O governo iraniano ainda defende um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU para o Brasil?

Shaterzadeh – Claro. Não mudamos nossa opinião, enfatizada durante a visita do presidente Ahmadinejad ao Brasil, em 2009. Nós enfrentamos as mesmas dificuldades que o governo brasileiro no sistema político multilateral.

ZH – Na sua avaliação, houve uma guinada na política externa brasileira no governo Dilma?

Shaterzadeh – Seria melhor fazer essa pergunta para os analistas brasileiros. O Irã, entretanto, está convencido de que a política externa de Dilma é uma continuação da do ex-presidente Lula.

ZH – Como Teerã vê a reaproximação do Planalto com a Casa Branca?

Shaterzadeh – Respeitamos as políticas de qualquer país. O Brasil tem de seguir sua trajetória conforme seus interesses. No entanto, o governo iraniano é contra as políticas expansionistas e repressoras dos EUA ao redor do mundo. Teerã é contra a política repressiva e cruel imposta pela Casa Branca.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

DOCUMENTÁRIO - ‪TERRORSTORM - HISTÓRIA DO TERRORISMO GOVERNAMENTAL (LEGENDADO)

CHINA - RÚSSIA - IRÃ - PRONTOS PARA A PAZ



"Why do we have wars? Because some tool like Bush/Obama orders it. Does he bleed? Hell no! Does he tell the truth? Hell no! Does he give a rat's ass about the "commoner" who kills and dies for his benefit? Hell no! Does he even give a thought to those families who have loss in those wars or who have come home disfigured or brain-damaged while he jokes about the disinformation he used to persuade the people into fighting? Hell no! Does he benefit from the wars and bloodshed? Hell yeah!"

"Se queres a PAZ, prepara-te para a GUERRA!!!"

Si vis pacem, para bellum é um provérbio em Latim traduzido como, "Se queres a paz, prepara-te para a guerra" (geralmente interpretado como querendo dizer paz através da força—uma sociedade forte sendo menos apta a ser atacada por inimigos).

"O PROGRESSO É A CONCRETIZAÇÃO DE UTOPIAS"  - Oscar Wilde

"E precisamos sempre caminhar para o mundo que queremos, o mundo do "ideal", onde todos são felizes, justos, iguais, fraternos e amorosos. Se não caminharmos nesta direção, se não nos esforçarmos, dedicarmos nossas vidas e nossas almas para esta causa, seremos os eternos responsáveis pelo genocídio do dia a dia, pela brutalidade e crueldade com que vive a sociedade capitalista, suicida e sanguinária!"
.
"VER UM CRIME COM CALMA, É COMETÊ-LO"  - José Martí

http://lobovermelho.blogspot.com/2009/01/contra-todos-os-batalhes-paz-ter-chance.html

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

VIDEO DOCUMENTÁRIO DE VITTORIO ARRIGONI


MOSSAD matou VIK VITTORIO ARRIGONI

Descanse em PAZ Vik...

Vik said: "We also try to protect these innocent victims with our bodies"
Vik disse: "Nós também tentamos proteger estas vítimas inocentes com nossos corpos"This is a mirror post. Anyone that uploads this video from me, please copy the information below and put it in the video description! Thank You



Please subscribe to the Originator of this video "Gaza Friends" and join in our fight to free Gaza. (Links Below)

Gaza Friendshttp://www.youtube.com/user/gazafriends


Free Gazahttp://www.freegaza.org/


World United Newshttp://worldunitednews.blogspot.com/



Very Important Article:
Those who want to bump off the witnesses of the slaughter - 15/01/09

Source: Original Article
http://www.megachip.info/modules.php?name=Sections&op=viewarticle&art...


Source: Original Article (English Translation)
http://www.megachip.info/old//modules.php?name=Sections&op=viewarticle&am...


by Pino Cabras - Megachip
Enviado por 2minstral em 15/04/2011
Rest in Peace Vik...

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

JÓIA DE FAMÍLIA - CASAMENTO DE AISHA GADDAFI E AHMED

Family Jewel - The Wedding of Aisha Gaddafi and Her Late Husband, Ahmed
Jóia de Família - O casamento de Aisha Gaddafi e seu marido, Ahmed



This video shows rare footage of photos of young Muammar Gaddafi, his wife Safiyah, and Aisha during her childhood years.

Pictures of Aisha as a child posing with Yasser Arafat and and later as a young woman with President Saddam Hussein are also in the video.

 The video has footage of the fabulous wedding of Aisha and Ahmed.

 Her young husband was killed during the NATO invasion of Libya along with one of her children.

 The wedding has a fairy tale undersea mermaid motiff.

You will notice the couple sitting upon a golden couch during their wedding nuptials.

This is the "golden mermaid" couch that was seen in pictures taken by the NATO insurgents in AIsha's home during "Operation Mermaid Down".

 It is sad to think this is all she had left to recall happiers days when her life was full of promise.

Unlike the manner in which Gaddafi and his family have been villianized in the press, these photos show a loving father daughter relationship, and young people enjoying a normal, happy life in days gone by.

So sad that NATO and it's western allies have destroyed that happiness and brought terror to Libya.


Please share this video so that people will come to know that the libyan people have the same hopes and dreams as they do and just want to live their lives like any other people in peace.



The struggle continues.. onward!